quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Cruzeiro no Oasis of the Seas: dicas e avaliação

Para esse  fim de ano eu reservei uma publicação especial para vocês!
No mês de outubro de 2015 minha mãe passou duas semanas nos Estados Unidos e justamente no período que ela ia passar lá eu encontrei o inesperado: pela primeira vez o Oasis of the Seas estava fazendo um mini cruzeiro! Todas as viagens desse navio desde que ele chegou em Ft. Lauderdale, em 2009, foram de uma semana saindo aos sábados e visitando o Caribe, mas uma empresa de seguros norte-americana, a Aflac, fretou o navio entre os dias 17 e 20 de outubro (de sábado a quarta-feira), deixando um espaço de quatro dias sem viagem, fazendo com que a Royal Caribbean adicionasse esse cruzeiro de 21 a 24 de outubro, normalizando a saída no sábado.
Estando lá nos Estados Unidos, tendo vontade de conhecer o Oasis, mas sem poder passar uma semana inteira a bordo do navio, esse cruzeiro se encaixou perfeitamente na programação e ela embarcou naquele que seria o cruzeiro mais incrível até então!

O maior navio do mundo


Para quem não conhece, o Oasis of the Seas é o primeiro da classe Oasis, que conta com os três maiores navios do mundo: o próprio Oasis of the Seas, o Allure of the Seas e o atualmente maior do mundo - com 2 mil toneladas a mais - Harmony of the Seas (2016). Até hoje o navio é querido dos brasileiros, recebendo vários turistas do nosso país durante as suas viagens; inclusive na viagem inaugural foram tantos brasileiros que um avião foi fretado só com um grupo do Recife e o navio passou a ser chamado de "Oxente of the Seas" devido ao grande número de pessoas daqui!
Mas o que faz esse navio ser tão especial em comparação aos outros? A resposta é bastante simples: seu tamanho e layout. Veja a foto acima e responda: Quem já viu um navio com dois vãos enormes no meio?
O Oasis e seu irmão gêmeo são tão grandes que fica difícil de imaginar em um porto brasileiro... Para dar uma ideia do tamanho dele, vamos comparar com alguns navios que já vimos aqui no Brasil.
Imagine os seguintes navios da Pullmantur que já navegaram nos nossos mares:
Solandge, com 85m de comprimento. Img link

Empress: 48.500 toneladas
Zenith: 47.4000 toneladas
Sovereign: 73.500 toneladas
Horizon: 47.400 toneladas

Já viajou em algum deles e achou enorme? Você acredita que se colasse os quatro, transformando tudo em um navio só, ainda ficaria menor que o Oasis? O gigante dos mares acha pouco e ainda devolve 3.200 toneladas de troco, o suficiente para adicionar a esse cálculo o Solandge, um iate de 2.899 toneladas que pode ser alugado por 1 milhão de dólares por semana!

Empress + Zenith + Sovereign + Horizon < Oasis of the Seas

Por dentro do Oasis of the Seas

Um navio de 220.000 toneladas de arqueação bruta, 360 metros de comprimento, 64 de largura (o dobro do MSC Musica, Orchestra, Poesia ou Magnifica) e capacidade para mais de 8000 pessoas entre passageiros e tripulantes tem muito a oferecer a bordo; ele é tão grande que foi dividido em sete bairros!
Royal Promenade e seu bar-elevador
No total são 2700 cabines distribuídas em 36 categorias, entre internas, externas, com varanda e suítes. O destaque fica para as primeiras cabines com varanda voltadas para dentro do navio e as tipo Loft, com dois andares. As cabines no Oasis podem ter vista para o mar, para a Boardwalk (deck 6), Central Park (deck 8) ou para a Royal Promenade (deck 5), oferecendo muito mais opções na hora de reservar o cruzeiro. Quem tem medo de olhar para fora e ver aquele mar sem fim, pode ter a agradável vista de dezenas de milhares de plantas naturais do parque ao ar livre com vários restaurantes, cafés, lojas (como a Coach), bares, jardins verticais e locais tranquilos para sentar e relaxar. Durante o dia o local tem som de pássaros e à noite os grilos criam uma atmosfera única, mesmo sendo sons artificiais.
Se gostar de uma vista mais movimentada, uma cabine com varanda voltada para o Boardwalk é a escolha perfeita. O local fica no segundo "corte" do meio do navio e é uma rua temática imitando um píer na Califórnia, com lanchonetes de cachorro-quente, sorvete, frutos do mar e até um carrossel de verdade! Continuando por essa rua em alto mar e chegando no final do navio é onde fica o Aqua Theatre, outro destaque do navio. Esse teatro a céu aberto possui um palco que vira piscina e lá é onde ocorre o Oasis of Dreams, um show de dança com saltos e água dançante. Dos lados do teatro existe também duas paredes de escalada com 6 andares de altura e em cima disso tudo é onde fica  a tirolesa.
Cada andar é um restaurante diferente
Quem está em uma cabine com vista para o Boardwalk tem a oportunidade de assistir ao show diretamente da sua varanda. Porém alguns passageiros relataram que o local pode incomodar um pouco devido ao barulho e há uma certa falta de privacidade nas varandas, já que do outro lado da avenida tem outro "prédio" com outras cabines. O mesmo vale para o Central Park.
As inúmeras opções de lazer não param por aí. Descendo para o Opal Theatre, localizado nos decks 3, 4 e 5, é possível assistir ao Come Fly With Me, um show aéreo, ou ao show de CATS, sendo esse o primeiro navio a oferecer um espetáculo completo da Broadway! No Allure of the Seas o show é Chicago, também da Broadway, e no Harmony o musical Grease garante uma ótima programação noturna. No deck 4, além do segundo andar do Opal Theatre, do Casino, da sala de shows de comédia, do clube de Jazz e do restaurante oriental, existe o Studio B, uma pista de patinação no gelo onde as pessoas podem se divertir durante o dia e à noite se sentar na arquibancada para assistir ao show Frozen in Time, com patinadores profissionais.
Cabine com varanda na Boardwalk: Sem privacidade?
Na popa do navio, ocupando parte dos decks 3, 4 e 5, existia um restaurante enorme de três andares com mezanino, mas na recente reforma que o Oasis passou cada andar se transformou em um novo restaurante, mantendo o layout original. Com isso a Royal Caribbean introduziu o Dynamic Dining, dando opção aos passageiros de jantarem quando quiser e onde quiser, sem ser com hora marcada. Para os marinheiros mais tradicionais, no entanto, o jantar em turnos também é opcional. Com a nova configuração o primeiro andar passou a ser o American Icon Dining Room, com comida americana; o segundo se transformou no Grande Dining Room, um tradicional à la carte; e terceiro no Silk Dining Room, com temática asiática.
Um dos bares mais curiosos já vistos em alto mar é o Rising Tide Bar. Ele não é localizado em um deck, já que é um bar-elevador que se move por 4 andares, entre o Central Park e a Royal Promenade, um luxuoso shopping center. A Promenade já existia em outros navios da Royal antes do Oasis, nos navios da classe Voyager e Freedom. Lá existem lojas, como a Michael Kors; cafés, como o Starbucks; restaurantes, como o italiano Sorrento's; docerias, como a The Cupcake Cupboard; e diversas atrações, incluindo um carro antigo no meio do shopping. Além disso, durante a noite são feitos desfiles e festas temáticas no local.
Veja o carrossel ali atrás!
Para os mais aventureiros, além das paredes de escalada e da tirolesa, é possível se divertir em um dos dois simuladores de surf localizados no final do navio, no deck 15, com direito a plateia para assistir às divertidas quedas. Na mesma área fica uma quadra de basquete com tamanho oficial e um campo de golf bastante generoso. Com vista para isso e para as piscinas à frente, estão as cabines de dois andares localizadas no deck 17, acima do Windjammer Marketplace, um restaurante self-service.
Se depois de comer em vários dos 25 restaurantes bater um sentimento de culpa, o Oasis of the Seas possui uma academia e ainda a maior pista de corrida em alto mar do mundo, com quase 700 metros de extensão. Como também não poderia faltar, há um grande SPA e um Solarium, ambos na frente do navio.
Para complementar também estão a bordo áreas para crianças e adolescentes, boates, sala de videogames, sala de cartas e jogos, biblioteca, restaurante brasileiro, galeria de fotos, loja Britto e centro médico. Atividades a bordo é o que não falta.

Dicas, Impressões e Avaliação

Como já dito o Oasis possui diversos shows incríveis a bordo, então é bom garantir a sua vaga para assisti-los durante o seu cruzeiro. Para isso a Royal Caribbean libera exatamente 2 meses antes do dia do embarque a reserva de shows diretamente pelo site http://www.royalcaribbean.com.br. Basta clicar em "Prepare-se e embarque" e depois em "Complementos de cruzeiro". Na janela que abrirá insira os dados da viagem e caso tenha reservado o cruzeiro com uma agência de viagem solicite o número da reserva a ela. Depois de feito o login é possível, além dos shows, fazer reserva de jantares, spa, excursões, adquirir pacotes de bebidas e internet, entre outras atividades.
Primeiro mini do Oasis desde que navega nos EUA
Esse cruzeiro de 3 noites, o primeiro do Oasis of the Seas com essa duração por lá, foi o chamado Bahamas Getaway Cruise, com escala apenas em Nassau, capital das Bahamas.
Shows musicais na Royal Promenade
É importante falar sobre a hora de chegada ao terminal de cruzeiros: No voucher tem dizendo a hora que começa e termina o embarque no navio, então não adianta chegar super cedo no porto porque o navio não estará pronto para a nova viagem, evitando assim ficar horas esperando no terminal. Nesse caso o cruzeiro partiu de Fort Lauderdale às 17h e o embarque aconteceu das 12h30 às 15h30 (horário local).
Nassau
Windjammer Marketplace
O Oasis of the Seas é uma das referências mundiais no mercado de cruzeiros voltados para entretenimento. As inúmeras atrações a bordo fazem com que o navio ganhe diversos prêmios todos os anos e isso foi muito percebido durante a viagem. Os principais pontos foram as divertidíssimas festas, com destaque para as na Royal Promenade; os shows, com destaque para Cats; e as comidas. A qualidade das refeições desde a entrada à sobremesa chamaram a atenção: pratos saborosos e muito bem apresentados.
O último dia do cruzeiro sempre reserva as melhores promoções, então é bom ficar de olho na Promenade, onde acontece o leve três e pague dois e são dados grandes descontos em diversos produtos.
Para quem se preocupa com gastos a bordo, existem vários restaurantes inclusos e alguns pagos. O Windjammer Marketplace, ao lado da piscina, é bastante informal, mas costuma estar sempre lotado. Uma opção interessante para tomar café da manhã é o American Icon Grill, um restaurante menor com uma refeição bastante diferenciada.  Vale observar que durante o jantar ele é pago. Outra forma de economizar é com bebidas. No navio e possível tomar café (muito bom segundo minha mãe), leite e água (sem ser de garrafa) a vontade e, para economizar com bebidas alcoólicas, é bom comprar pacotes de bebidas na agência de viagens, no site da companhia ou mesmo a bordo do navio. Garrafas de água podem ser compradas nos restaurantes, bares ou no frigobar da cabine ou ainda através de pacotes de bebidas não alcoólicas.
Para muitas pessoas não dá para acabar um cruzeiro sem comprar uma miniatura do navio. O mini Oasis é muito bonito e detalhado e pode ser comprado por 40 dólares.
Na área de esportes (atrás do navio nos últimos andares), onde fica a quadra, golfe e simuladores de surf, também existe uma tirolesa. Vale dizer que para andar nela é preciso estar com tênis, não é permitido ir com sandálias.
Na última noite do cruzeiro são colocados envelopes da Royal Caribbean na cabine para gorjetas. Caso não tenha incluído no seu pacote de viagem as gorjetas, é de bom modo colocar um agradecimento para os camareiros pelo trabalho durante toda a viagem. Também nessa noite as malas precisam ser colocadas do lado de fora da cabine para serem desembarcadas no destino final.
Promoções na Royal Promenade
No dia do desembarque as reações da minha mãe me ligando logo que o navio chegou de volta em Ft. Lauderdale mostravam como aquela viagem foi acima de todas as expectativas que ela já tinha criado desse navio. Ela não encontrava palavras para descrever como aquela viagem foi incrivelmente boa, sem comparação com os outros cruzeiros que já fizemos aqui no Brasil. Certamente o Oasis of the Seas é uma excelente opção para quem quiser fazer um cruzeiro voltado para diversão o dia todo. Com a chegada do Harmony of the Seas em Ft Lauderdale, em novembro de 2016, o Oasis foi transferido para Port Canaveral, o porto de Orlando, e passou a oferecer cruzeiros de menor duração, sendo uma excelente escolha para quem estiver na área da Disney.
Como algumas avaliações pontuais, as refeições e opções de lazer, festas e shows têm nota máxima; o navio é um pouco lotado nas principais áreas públicas, o que pode ser incômodo para os menos festivos; o navio é muito estável mesmo em mares mais agitados devido ao seu tamanho; nesse cruzeiro ela ficou em uma cabine interna com três amigas e o tamanho da cabine foi um ponto negativo. Durante a viagem elas conheceram outras pessoas que estavam em uma cabine com varanda voltada para a Boardwalk e mesmo assim ela era bastante pequena para quatro pessoas. O melhor é que seja usada em ocupação dupla.
Qualquer dúvida ou curiosidade é só usar o espaço de comentários aqui em baixo. Não é necessário fazer login em contas de e-mail ou redes sociais para comentar!

Imagem aérea: logitravel 
Publicação escrita com ajuda de fotos e impressões da minha mãe.
Copyrigh© all rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Navios no porto do Recife em dezembro de 2015!

28/12/15 - Crystal Symphony (★/ Luxury-Premium)

O último  navio a passar pelo porto do Recife neste ano foi o Crystal Symphony. O pequeno e luxuoso navio da Crystal Cruises tem atualmente dois irmãos na frota da companhia, o Crystal Serenity e o novo Crystal Espirit, parte da nova Crystal Yacht Cruises. Além desses navios a empresa irá em breve receber novas embarcações de grande porte e vai operar pela primeira vez cruzeiros aéreos, com um Boeing 787 Dreamliner que estreará em 2017 na Crystal Luxury Air. Não satisfeita a companhia anunciou também ano passado que irá começar sua própria linha de cruzeiros fluviais, a Crystal River Cruises, no mesmo ano do seu avião. Para saber mais clique aqui.
 O Symphony está realizando atualmente um cruzeiro com embarque em Miami (no dia 12 de dezembro) ou em San Juan, Porto Rico (no dia 19). A viagem passou por 6 ilhas do Caribe e continuou pela Guiana Francesa antes de chegar a Fortaleza. Em território brasileiro o navio seguiu para Recife e Salvador (onde está hoje); depois de lá ele vai para o Rio de Janeiro, onde alguns passageiros desembarcam. Quem pagou pela viagem completa ainda visitará Ilha Grande, Ilhabela, Santos, Itajaí, Punta del Este e, finalmente, Buenos Aires, o Destino final do cruzeiro.
O navio pesa 51 mil toneladas, transporta 960 passageiros em ocupação dupla e 545 tripulantes e tem uma proporção de 1.7 passageiros por tripulante, uma relação respeitosa no mercado de cruzeiros, e 53.1 toneladas por passageiro, garantindo muito espaço a bordo.

26/12/15 - Regent Seven Seas Mariner (★+/ Luxury-Premium)

O Seven Seas Mariner, da Regent Seven Seas Cruises, ficou atracado no porto do Recife das 09h às 16h45. O navio registrado em Nassau pesa 46 mil toneladas de arqueação bruta e transporta 700 passageiros e 445 tripulantes. A viagem dele começou em Cape Town, na África do Sul, e atravessou o oceano Atlântico até o Rio de Janeiro. Lá o navio embarcou mais passageiros que também estão seguindo no cruzeiro até o Rio Amazonas, algumas ilhas do Caribe e, por fim, Miami, na Flórida. Quem quiser continuar além desse cruzeiro de 35 noites e não desembarcar nos EUA, a viagem ainda atravessa o canal do Panamá e termina em Lima, no Peru.

11/12/15 - Costa Pacifica (★+/ Standard)
O Costa Pacifica, irmão quase-gêmeo do Costa Fascinosa, chegou ontem ao Recife completando a oferta de navios da Costa para esta temporada sul-americana. Algumas diferenças externas visíveis em relação ao irmão mais novo é a piscina fechada na parte de trás do navio, que deu lugar a um deck aberto no Fascinosa, e a ausência da área de crianças na frente da chaminé com uma parede de vidro para proteger a área do vento.
O Pacifica, diferente do Fascinosa, vai ter sua  temporada dedicada ao mercado brasileiro, com partidas desde o porto de Santos. As viagens de três noites passarão por Ilhabela e Portobelo; as de 6 noites por Rio, Salvador e Ilhabela; as de 7 noites passarão também por Ilhéus; e outra opção das viagens de 7 ou 8 noites é ir até o Uruguai e a Argentina.
Depois da sua escala no Recife o navio seguiu às 20h para Maceió. O que faltou foi o comandante saudar a cidade com apitos na saída do porto. 
"Navios que não apitam não se despedem."
                               - Laire Giraud, 2009 (Portogente)

07/12/15 - Costa Fascinosa (★+/ Standard)

O gigante italiano Costa Fascinosa, um dos mais novos navios da Costa Cruzeiros, também completou sua travessia atlântica no porto do Recife substituindo o Costa Mediterranea, que estava previsto para navegar pelos mares brasileiros. Vindo de Tenerife, o cruzeiro de 290 metros de comprimento e 114.500 toneladas chegou por volta das 7h da manhã e permaneceu até as 19h de um dia ensolarado, perfeito para os mais de 3000 turistas explorarem a cidade.
A viagem do Fascinosa teve Savona e Barcelona como opções de embarque e Rio de Janeiro, Montevideo (Uruguai) ou Buenos Aires (Argentina) como opções de desembarque. Durante a sua temporada na América do Sul o Fascinosa vai ter Buenos Aires como seu porto-base e o Rio de Janeiro como opção de embarque nos cruzeiros mais longos, de 8 ou 9 noites. Os mini-cruzeiros, de quatro dias, só passarão por Punta del Este e Montevideo, ambos no Uruguai.

01/12/15 - Rhapsody of the Seas (★+/ Standard)
Dando continuidade à temporada de cruzeiros no Recife, o mês de dezembro já começou com um navio estreante no seu primeiro dia.
O Rhapsody of the Seas nunca esteve em território brasileiro antes e veio substituir seu irmão mais velho, o Splendour of the Seas. O navio da classe Vision da Royal Caribbean mede 279 metros de comprimento e 32.2 de largura, pesando 78 mil toneladas de arqueação bruta.
O fato de a Royal Caribbean trazer um navio estreante para o Brasil pode parecer bastante animador, mas na verdade o Rhapsody está substituindo o Splendour, que em breve será transferido para a Thomson Cruises, apenas nesta temporada, já que devido ao altíssimo custo de operação no Brasil e à infraestrutura ruim na maioria dos portos brasileiros, a Royal anunciou que essa será a última vez que vai operar no país. Vale lembrar que desde a primeira vez que trouxe o fiel Splendour ao Brasil, no começo dos anos 2000, a companhia vem reclamando dos mesmos problemas, mas o governo não deu a atenção devida a um setor tão lucrativo para a economia como um todo.
Depois de passar o dia atracado no Recife, o Rhapsody seguiu com um longo apito, às 18h, para o porto do Rio de Janeiro. As viagens dele na América do Sul vão ter entre três e 14 noites, com os novos itinerários entre o Brasil e o Chile.

Copyrigh© all rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra.