sábado, 20 de abril de 2019

Temporada 2019/2020: Qual o melhor navio no Brasil para o seu cruzeiro?

A temporada 2018/2019 terminou agora no mês de abril, com uma oferta de mais de meio milhão de leitos. Com isso, já é hora de reservar seu cruzeiro para o fim deste ano e começo do próximo, que já estão disponíveis há uns meses nos sites das companhias de cruzeiros e nas principais agências de viagens.
Muitos de vocês, especialmente os marinheiros de primeira viagem, me perguntam qual navio escolher para embarcar. Por isso vou fazer nesta publicação uma breve descrição de cada um dos sete navios das três companhias que vão estar operando regularmente aqui na temporada 2019/2020 para te ajudar a escolher um.
Aqui estarão apenas os navios de cruzeiro dedicados à temporada  completa com base no Brasil. Fora esses sempre existem outros navios de passagem por aqui que também oferecem opção de embarque em portos brasileiros, mas sem volta. Grande parte deles são navios premium e de luxo, como da Oceania, Seabourn, Ponant e Celebrity.
As companhias serão apresentadas em ordem de acordo com a quantidade de navios dedicados ao mercado brasileiro: MSC, Costa e Pullmantur

MSC Cruzeiros
A italiana MSC é há vários anos a companhia líder no mercado em número de leitos ofertados, sempre trazendo alguns dos seus maiores e mais novos navios. Para a próxima temporada teremos quatro por aqui: MSC Seaview, MSC Fantasia, MSC Poesia e MSC Sinfonia. O MSC Musica também vai marcar presença nos nossos mares, mas terá Buenos Aires (Argentina) como porto-base. Seus navios combinam decoração premium com uma experiência sem muitas formalidades.

Avaliações de acordo com o Berlitz Guide Cruising & Cruise Ships:
Nome do navio: de 0 a 2000 pontos - nota de 0 a 10 (Estrelas de ★ a ★+)

MSC Seaview: aguardando edição atualizada
MSC Fantasia: 1538 pontos - nota 7,69 ()
MSC Poesia: 1452 pontos - nota 7,26 ()
MSC Sinfonia: 1382 pontos - nota 6,91 (★+)

MSC Seaview
154.000 toneladas, 4132 hóspedes em ocupação dupla, 1.413 tripulantes

A última temporada contou com um estreante que fez grande sucesso, o MSC Seaview, que chegou por aqui com apenas alguns meses de idade e quebrou recordes, sendo o maior navio da história a fazer cruzeiros no Brasil. Na próxima temporada ele estará de volta, oferecendo os mesmos roteiros: Mini cruzeiros pelo sul e sudeste e viagens de uma semana com destino ao nordeste brasileiro com partidas de Santos e opção de embarque em Salvador.

Esse navio foi detalhadamente avaliado por mim aqui no blog, no YouTube e no Instagram durante o primeiro cruzeiro de uma semana dele aqui no Brasil (dezembro/2018). Para ler as Dicas e Avaliação completas do Seaview é só clicar aqui; para viajar comigo nos vídeos (vlogs) de todo o meu cruzeiro de uma semana nele, o link é este; se você tem dúvidas sobre pacotes de bebidas, não perca este vídeo; e para ver mais fotos como essa aqui do lado é só seguir o @rgcruzeiros no Instagram!

Em resumo:
- É um navio imenso, com inúmeras atividades de entretenimento durante todo o dia; esse é o navio com a melhor infraestrutura entre todos no Brasil. Os shows e festas são imperdíveis;
- As refeições estavam realmente boas e com uma variedade bem interessante;
- O atendimento dos tripulantes que tive contato foi, em quase sua totalidade, muito bom;
- Por ser um navio imenso e com mais de 5000 passageiros, em alguns momentos fica muito cheio, com filas grandes em algumas áreas e os elevadores podem demorar. O número de atendentes em bares pode ser insuficiente durante eventos maiores;
- A decoração é de extremo bom gosto e o conceito de estar sempre próximo ou vendo o mar é sensacional. É um navio extremamente agradável e o mais fotogênico que já viajei.

MSC Fantasia
137.000 toneladas, 3.274 hóspedes em ocupação dupla, 1.370 tripulantes

Imagem: Reprodução/ MSC Cruzeiros
O primeiro navio da classe que leva o seu nome já é bem conhecido pelos brasileiros. Os irmãos Splendida e Preziosa também já estiveram por aqui várias vezes, tendo uma aceitação muito boa entre os cruzeiristas.

Infelizmente eu nunca fiz um cruzeiro nessa classe, que até 2017 era a maior da companhia italiana, mas conversando com muitos de vocês eu posso passar os principais pontos de como é um cruzeiro nessa classe e nesse navio.

O Fantasia tem uma capacidade de passageiros menor que o MSC Preziosa, o que resulta em uma sensação de espaço maior que no irmão mais novo, que recebeu mais cabines para uma mesma quantidade de áreas públicas. Apesar de contar com menos atrações que o Seaview, ele tem muito a oferecer também. A vida a bordo é agitada com atividades para todas as idades, contando com amplas áreas de piscinas e um enorme atrium central.
A quantidade de passageiros por tripulante nele é menor que no Seaview, o que resulta em um atendimento mais eficiente. Além disso são necessários apenas dois turnos de jantar, em vez dos três no Seaview.

Apesar de não ser um dos maiores da companhia, ele ainda é o segundo maior do Brasil, então o clima e agito dos grandes navios está sempre no ar. É super indicado para grupos de jovens, casais com crianças e bebês e pessoas que procuram agito na sua viagem com um ambiente luxuoso a bordo, sem abrir mão de usar sandálias e roupas confortáveis durante o dia. Ele e o Seaview serão os únicos a oferecer o Yacht Club, uma área reservada que inclui mimos como mordomo e restaurante e piscina privativos. Para saber mais sobre o YC, clique aqui.

Pela segunda temporada consecutiva ele fará embarques no porto do Rio de Janeiro, oferecendo cruzeiros para o nordeste e o Rio da Prata, parando em Buenos Aires (Argentina) e Punta del Este (Uruguai). Inclusive há roteiros de duas semanas com todos esses destinos em uma só viagem.

MSC Poesia
92.600 toneladas, 2.550 hóspedes em ocupação dupla, 1.039 tripulantes

Mais uma vez o Poesia estará de volta com seus cruzeiros de 7 noites partindo de Santos para a Argentina e o Uruguai. Por ser menor que o Fantasia ele tem a vantagem de conseguir atracar na capital uruguaia, Montevideu, então quem quiser conhecer essa cidade vai ter que tirar o irmão maior da lista.

Ainda não embarquei no Poesia, mas já viajei no MSC Orchestra, um irmão gêmeo, e no MSC Magnifica, o mais novo da classe Musica e com várias adições que o aproximaram da classe Fantasia.

No Orchestra eu fui em dezembro de 2010 (um mini cruzeiro pelo sudeste) e no Magnifica em fevereiro de 2014 (uma semana com escala em Punta del Este e Montevideu e uma pernoite em Buenos Aires).

Mesmo não sendo uns dos maiores navios da MSC, os integrantes dessa classe são bem grandes, porém menos cheios. É mais difícil encontrar filas muito grandes neles.

Uma coisa que eu percebi claramente foi que as refeições no MSC Seaview foram muito melhores que nos outros dois da classe Musica. Pode ser que tenham melhorado nos últimos cinco anos, mas a minha impressão não foi boa nesse ponto.
As opções de entretenimento ainda são bem diversas e os lounges e bares são muito espaçosos, permitindo que a equipe de entretenimento mantenha os passageiros animados durante o cruzeiro. A área para atividades ao ar livre junto da piscina é muito grande no Poesia, então sempre tem eventos acontecendo por lá. Por ter uma boa taxa passageiros/tripulantes, o atendimento é melhor nele que nos irmãos maiores.

Ele é igualmente indicado para todos os públicos, existem atividades para todas as idades. Tanto quem quer dançar na boate enquanto toma um drink quanto quem quer fumar um charuto cubano em uma área calma e reservada vai gostar desse navio.

MSC Sinfonia
65.500 toneladas, 1.960 hóspedes em ocupação dupla, 721 tripulantes

Imagem: Reprodução/ MSC Cruzeiros
O MSC Sinfonia será uma opção muito interessante para os sulistas, uma vez que ele vai ser o único navio a oferecer embarques no porto de Itajaí (SC). Ele faz parte da classe Lirica, a menor e mais antiga da companhia.

Apesar disso, todos os 4 navios da classe passaram por uma grande reforma, o Programa Renaissance, que custou, no total, 200 milhões de euros. Em um intervalo de um ano, desde quando o primeiro entrou em doca seca (2014) até o último sair (2015), os navios foram cortados ao meio e um bloco com novas cabines e áreas públicas foi adicionado em cada um. As demais áreas dos navios passaram por reformas e modernizações. Com isso eles passaram de 251 metros de comprimento para 275, ganharam 5 mil toneladas e 193 novas cabines. 

O Lirica é um navio que se tornou mais atrativo para crianças após a reforma, já que dentre as principais novidades, o novo parque aquático voltado para elas se destaca.
Ele é o menor navio da empresa, então o clima a bordo é menos agitado e a lista de atividades diárias é menor.
A vantagem é que os ambientes são mais intimistas e a tripulação consegue organizar boas atividades de entretenimento durante o dia.

Mesmo sendo o mais antigo dos MSCs no Brasil, não se preocupe com isso, ele está em excelente estado de manutenção e oferece confortáveis cabines e áreas públicas. Outra grande vantagem de um navio menor é que todos os processos de embarque e desembarque são muito mais rápidos, assim como o atendimento.

Os cruzeiros no Sinfonia terão uma semana de duração e embarques em Itajaí, Montevideu, Buenos Aires e Santos.

Costa Cruzeiros
A mais tradicional companhia de cruzeiros italiana, com quase 100 anos operando navios de passageiros, estará de volta com os grandes Costa Pacifica e Costa Fascinosa, disponibilizando cruzeiros com embarque no Rio de Janeiro e em Santos. Um clima familiar, decoração extravagante, boas opções de lazer e refeições fazem parte dos navios Costa.

Avaliações de acordo com o Berlitz Guide Cruising & Cruise Ships
Nome do navio: de 0 a 2000 pontos - nota de 0 a 10 (Estrelas de ★ a 

Costa Fascinosa: 1370 pontos - nota 6,85 (★+)
Costa Pacifica: 1363 pontos - nota 6,82 (★+)

Costa Fascinosa
113.300 toneladas, 3.016 hóspedes em ocupação dupla, 1.110 tripulantes


Mais uma vez de volta ao Brasil, o Costa Fascinosa oferecerá cruzeiros partindo do porto de Santos. As viagens serão mini cruzeiros para o sul e sudeste e de uma semana até o Rio da Prata ou nordeste brasileiro.

Esse é outro navio que passou pelo "Dicas e Avaliação" aqui no blog, em dezembro de 2016.
Ele é um dos mais novos e maiores da companhia, tendo entrado em operação em 2012. Para saber tudo sobre ele, clique aqui.

O entretenimento é um ponto positivo do Fascinosa, com festas e atividades durante todo o dia. Os shows italianos são os mais italianos que você verá em alto mar.

As refeições foram um ponto positivo desse navio. Tanto no Buffet quanto nos restaurantes à la carte a variedade e qualidade das refeições foram boas, principalmente as massas.

Por ser um navio de grande porte, com até 3800 passageiros, ele também tem o problema de outros intermediários desse tamanho: em alguns momentos algumas áreas ficam bastante cheias, mas isso é algo de se esperar.

O atendimento dos tripulantes também foi um ponto positivo. Vale conferir a avaliação completa aqui no blog para saber de todos os detalhes da minha experiência no Costa Fascinosa.

Costa Pacifica
114.500 toneladas, 3.016 hóspedes em ocupação dupla, 1.110 tripulantes


Imagem: Reprodução/ Costa
O Navio da Música, chamado assim pelo tema a bordo, é praticamente gêmeo do Costa Fascinosa. Fora a decoração, a diferença mais visível é a piscina da popa, que é fechada com um teto de vidro retrátil no Pacifica e aberta no Fascinosa.

Por serem da mesma classe, as dicas e avaliação do Fascinosa também valem para ele. A diferença para escolher um ou outro vão ser os roteiros.

Em vez de partir de Santos, o Costa Pacifica chamará o Rio de Janeiro de porto base, oferecendo também opção de embarque em Buenos Aires. Os roteiros serão todos de 7 a 8 noites com destino ao Rio da Prata e três mini cruzeiros de 4 noites com embarque e desembarque em Buenos Aires e escalas em Punta del Este e Montevideu.

Ah, uma coisa que tem no Costa Pacifica mas que não tem no Fascinosa é um estúdio de gravação profissional a bordo. Por ser o navio da música, ele é o único a oferecer essa atração aos passageiros.

Pullmantur Cruzeiros
A espanhola Pullmantur, parte do grupo Royal Caribbean, oferece cruzeiros informais em navios menores e mais antigos, herdados da Royal Caribbean International e da Celebrity, marca premium da empresa. Após a Royal encerrar suas operações no Brasil, o Sovereign continua navegando por aqui, mas fretado pela operadora CVC, que mantém a proposta original da companhia. Essa, sem dúvidas, é a empresa que mais se diferencia das outras por aqui. As duas italianas, Costa e MSC, são muito parecidas.

Avaliação de acordo com o Berlitz Guide Cruising & Cruise Ships
Nome do navio: de 0 a 2000 pontos - nota de 0 a 10 (Estrelas de ★ a ★+)

Sovereign: 1192 pontos - nota 5,96 ()

Sovereign
73.600 toneladas, 2.310 hóspedes em ocupação dupla, 820 tripulantes
O Sovereign está no Brasil para provar que idade e infraestrutura imensa não são tudo em um navio. Com seus 30 anos, esse é um dos mais queridos no nosso país, devido ao trabalho dos tripulantes. Ele é um navio super informal, com decoração nem luxuosa nem extravagante, como nos maiores navios da MSC e Costa, respectivamente.

Como em todo navio, há sempre relatos positivos e negativos, sendo eles bem extremos no Sovereign. As mensagens que recebo sobre ele são quase sempre ou um "eu amei" ou "eu odiei". Ainda preciso viajar nele para conhecer melhor. Mas no geral os relatos são positivos em relação às comidas e, em especial, atendimento da tripulação e o entretenimento.

Ele é o único navio all-inclusive no Brasil, não precisando comprar pacotes de bebidas ou pagar separadamente por elas, o que elimina aquelas milhares de dúvidas na hora de comprar e usar um pacote. É só chegar em qualquer bar e pedir o que quiser.

Os roteiros do Sovereign são voltados para as preferências dos grupos de jovens: os mini cruzeiros. Os portos de embarque durante a temporada serão Recife, Salvador,  Rio de Janeiro e Santos. Os principais destinos serão Búzios e Balneário Camboriú.

-----
Contribua com essa publicação contando aqui embaixo, nos comentários, a sua experiência em um desses navios! Qualquer dúvida me chama no Instagram Direct.

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra.